O choro da porta da escola

abril 29, 2009 at 5:17 pm 2 comentários

Eu era uma criança muito tímida. Mas muito, de me esconder atrás da minha mãe no elevador quando entrava alguém. Uma tragedinha!

No começo do colégio, o famoso MATERNAL (que só escrevendo agora eu me toquei que vem de “mãe”  hahaha wow!) a vida é uma festa. Você veste o uniforme pra desenhar. Pra brincar de correcotianacasadatia. Pra ir pro recreio, voltar pra sala e continuar sendo recreio… Ai, como eu amaaaaaava ir pra aula!

Daí no Jardim 2, que não é mais maternal – ou seja, você tem que começar a se destacar, pintar dentro do círculo, usar a tesoura e tal – uma amiguinha resolveu chorar do meu lado. Eu observei… Pensei… E resolvi que era hora de encarar a timidez: “Que foi, amiguinha?”, perguntei. “Tô com saudade da minha mãe”.

Minha sensibilidade ficou a flor da pele e eu fiquei extremamente comovida pela minha amiguinha e comecei a chorar também. A Tia veio na velocidade da luz achando que havia uma briga, mas que nada, era pura compaixão.

O que se tornou incrível foi que desde aquele dia do Jardim 2 até um tempão depois eu achei a tática de chorar na porta da escola incrível. Não que eu não sofresse, porque eu sofria. Mas, gente, eu ganhava mais 5min da minha mãe ali, dedicada só a mim! Até que, depois de um tempo, ela começou a brigar… Devia cansar, né?

Resolvi que era hora de não dar mais trabalho e voltei pra timidez que era mais minha praia, mesmo…

Eis que meus irmãos resolveram gostar de Bisnaguinha Seven Boys (hahaha algo que nunca questionei, mas agora me pergunto – quem seriam os seven boys???) e sobrou pra mim também. Não, eu não gostava, sei que era um hit pra criançada, mas não sei… nunca curti!

Colégio de freira, lá fui eu fazer a minha boa ação de todos os dias, durante meses – deixar o meu lanchinho seven boys na cestinha de doações. Mas, pobre coitada, não sabia que a fome me mataria pelo fim da tarde. E comecei a chorar no meio da sala de aula, timidamente… A Tia reparou e veio na hora “Que foi, tá com saudades da mamãe?”. “Não, to com fome!”. E, naturalmente, minha mãe foi chamada na escola.

Depois de uma semana de castigo sem lanche algum – essa sim, uma tática incrível hahaha! – eu comecei a entender que era importante eu tentar falar. Que minha mãe não iria se ofender se eu não gostasse da bisnaguinha. Aí resolvi tentar ser uma criança normal.

E até fui. Alguns bons anos se passaram, me formei no colégio, na faculdade, trabalhei alguns anos e meio seguidos, vivi um período sabático cheio de ócio criativo (tipo o maternal) e agora, a beira de um “novo começo”, me sinto indo pra aula no Jardim 2… E sem a minha mãe!

Vou sentir saudade… Mas ainda bem que eu tenho a certeza de ter curtido MUITO o maternal!!! =)contemporaryisthenewretro1

Anúncios

Entry filed under: jucasemiro.

SOSsego a very good one!

2 Comentários Add your own

  • 1. Cla  |  maio 1, 2009 às 11:58 am

    Ju, sensacional!!!
    É incrível a maneira que vc consegue se expressar, colocar todo seu sentimento ai… E ainda, com aquele toque de humor!!
    E viva o novo!! =)
    bjinhos

    Resposta
  • 2. Toni Sader  |  maio 4, 2009 às 10:30 pm

    oooooooooooooooooohhhhhhhhhhhhhh!!

    hahahahaha “correcotianacasadatia”!!!!!!!!!!! hahahahahahaha

    A nostalgia foi tamanha que quase abri um vórtex no quarto.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Oi, tudo bem?

Ju Casemiro. Publicitária. Curiosa. Preguiçosa. Dramática. E com algumas qualidades também! =)


%d blogueiros gostam disto: